• O BELO, A SEDUÇÃO E A PARTILHA

    Obras da Coleção Maria e João Cortez de Lobão

O BELO, A SEDUÇÃO E A PARTILHA
Obras da Coleção
Maria e João Cortez de Lobão


O Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) e a Fundação Gaudium Magnum – Maria e João Cortez de Lobão (FGM) lançam o projeto museográfico conjunto O Belo, a Sedução e a Partilha.
O MNAA acolherá ao longo dos próximos doze meses, na Sala 49 da Galeria de Pintura Europeia, uma série de exposições, nas quais será exibido um conjunto de cinco pinturas de mestres antigos de pintura (Old Masters), parte integrante da coleção de Maria e João Cortez de Lobão.
A primeira obra a ser apresentada no âmbito deste programa é uma pintura do século XVII, Mulher numa despensa, resultante de parceria entre Giacomo Legi e Antiveduto Gramatica, mestres profundamente influenciados por Caravaggio.
A tela com que se inicia este ciclo de exposições de obras da Coleção Gaudium Magnum, de Maria e João Cortez de Lobão, incorpora duas das principais características do barroco de inícios do século XVII: o naturalismo da representação e o uso expressivo do claro-escuro.
A exuberante apreensão da realidade, característica da pintura flamenga, une-se nesta obra ao dramático sentido da luz fortemente contrastada que atingiu, no início do século XVII, a sua estabilização enquanto estratégia plástica na obra de Caravaggio e se tornou modus faciendi de um vasto grupo de pintores, dentro e fora de Itália.


2021 Gaudium Magnum Mulher na despensa
Giacomo Legi (Liège, c. 1590-1600-Milão, c. 1640) e Antiveduto Gramatica (Siena, 1571-Roma, 1627), Mulher numa despensa, c. 1620-1627 | Óleo sobre tela, 96×126 cm ©Jorge Simão


FOLHA DE SALA

icon pdf download ficheiro


Sobre a Fundação Gaudium Magnum
A Fundação Gaudium Magnum – Maria e João Cortez de Lobão existe desde 2018, tendo como missão enaltecer Portugal, a língua portuguesa, a sua cultura e as suas gentes. A Fundação pretende ser uma instituição aberta ao mundo, promove o Bem Comum e contribui para uma sociedade mais justa, à luz dos valores cristãos e da missão de Portugal no mundo. Para isso, aposta em quatro eixos estratégicos: Cultura, Educação, Beneficência e Investigação. No campo cultural, e em particular na sua coleção de arte, reúne um valioso espólio de peças centrada em Old Masters, com uma forte componente de autores portugueses.