Diretor

Fotografia Director MNAA António Filipe Pimentel
fotografia©Paulo Alexandrino


O novo sítio Web que agora se disponibiliza ao público – com o apoio generoso da Fundação PT e implementação da Waynext – complementa o investimento feito pelo MNAA nas redes sociais, na inovação tecnológica e, em geral, na área da comunicação, fechando uma abóbada delineada em 2010 e implementada pela grande equipa que, dia a dia, faz o Primeiro Museu de Portugal. Uma abóbada em cujo arco se desenha uma estrutura moderna, atraente, vocacionada para o serviço público e dos públicos, mas que assenta a sua identidade no estudo, preservação e mobilização de um acervo ímpar, que condensa o que de melhor se produziu ou acumulou no país, em quase nove séculos de projeto europeu e de expansão pelo mundo.

Ao longo de quatro anos, sedimentou-se um projeto amplo de renovação, alicerçado numa programação estratégica, assumida como essencial na afirmação nacional e internacional de um equipamento ao qual incubem responsabilidades maiores. Assente na noção de efeito contínuo, decorrente de uma malha cerrada de eventos expositivos, complementada com iniciativas de outra ordem – desde logo, científica e cultural num sentindo mais amplo –, o Museu oferece, em permanência, uma média de quatro mostras simultâneas. Às grandes exposições temáticas, patentes na Galeria do Piso 0, sucedem os programas da Sala do Tecto Pintado (vocacionado para projetos de investigação e valorização do acervo do MNAA), da Sala do Mezanino (em articulação com as coleções de Desenho e Gravura) e Obra Convidada (lançado em 2013 e acolhendo, na Galeria de Pintura Europeia, obras de referência de mestres da pintura oriundos de grandes parceiros internacionais, colmatando lacunas do acervo ou, ao invés, propondo com este um diálogo enriquecedor). De maio a setembro, um quinto evento ilumina ainda os jardins do MNAA: o programa MNAA-Olhares Contemporâneos. Residência da Fundação EDP no Museu Nacional de Arte Antiga, exposição centrada na fotografia, que este ano celebra a terceira edição. Mas o Museu abre ainda espaço, quando se justifica, para uma exposição extraprograma, como sucede com a notável mostra Esplendores do Oriente. Joias de Ouro da Antiga Goa, patente desde abril na Sala do Torreão.

A par, a determinada aposta na internacionalização – consolidada, em 2011 e 2012, com a apresentação sucessiva, em dois museus espanhóis, da mostra Primitivos (1450-1550). El Siglo Dorado de la Pintura Portuguesa e Cuerpos de Dolor. A Imagem do Sagrado na Escultura Espanhola (1500-1750) –, foi continuada em 2013 com a inauguração em Madrid da exposição En el Umbral de la Modernidad. Domingos Sequeira, un pintor portugués (1768-1837) e, em 2014, com a apresentação, no marco excecional do Palazzo Madama de Turim, de um dos mais ambiciosos projetos desenvolvidos pelo MNAA nos últimos anos: a exposição Tesori dal Portogallo. Architetture Immaginarie dal Medioevo al Barocco, no que constitui uma das mais prestigiosas embaixadas do património português levada a cabo nos últimos anos.

Enquanto isso, os espaços do Museu requalificam-se, aumentando e melhorando a sua oferta e promovendo uma imagem da instituição cada vez mais contemporânea. À renovação do restaurante-cafetaria e à requalificação do jardim, da Sala do Tecto Pintado, da Galeria de Exposições Temporárias, da Sala do Mezanino e do átrio principal, sucedeu, ainda em 2013, a reabilitação das coberturas da Capela das Albertas, primeira etapa de um projeto ambicioso que, em 2015, deverá devolver aos públicos o flanco Norte da Ala 9 de abril, com nova oferta museográfica. E é neste plano que se insere o mais ambicioso projeto que o MNAA acalenta para o próximo ano: a reabertura da Galeria de Pintura e Escultura Portuguesas, na sua totalidade e por completo renovada, oferecendo uma nova visão da evolução dessas duas disciplinas centrais da arte portuguesa, enriquecida por um amplo conjunto de novas aquisições e incorporações.

130 anos cumpridos sobre a sua fundação (em 1884), o MNAA-Museu Nacional de Arte Antiga ensaia, assim, em fidelidade às suas históricas origens e no serviço do legado inestimável que lhe foi confiado, um salto decidido no futuro.


Lisboa, setembro de 2014
António Filipe Pimentel

DIRETOR 
António Filipe Pimentel

DIRETOR-ADJUNTO
José Alberto Seabra Carvalho


CONSELHO DE CURADORES

PRESIDENTE HONORÁRIO
Marcelo Rebelo de Sousa

PRESIDENTE
António Filipe Pimentel

VICE-PRESIDENTES
José Alberto Seabra Carvalho
José Blanco
(Presidente do Conselho Diretor
do GAMNAA)
Emílio Rui Vilar

VOGAIS
Alexandre Relvas
Álvaro Sequeira Pinto
António Horta Osório
António Mega Ferreira
Fernando Faria de Oliveira
Fernando Nogueira
Guilherme d’Oliveira Martins
José de Arez Romão
Maria Filomena Molder
Pilar del Río Sánchez