• Estudo, Conservação e Restauro dos "Painéis de São Vicente" 2020/2022

Estudo, Conservação e Restauro dos Painéis de São Vicente
 
O projeto de de estudo, conservação e restauro  dos Painéis de São Vicente resulta de um protocolo mecenático, para três anos, de 2020 a 2022, assinado entre o MNAA, o Grupo de Amigos do Museu Nacional de Arte Antiga, a Direcão-Geral do Património Cultural e a Fundação Millennium bcp.
Além da participação de conservadores do MNAA, integram este projeto dois elementos contratados especificamente para esta intervenção, contando-se ainda  com o apoio técnico do Laboratório José de Figueiredo e do Laboratório Hércules da Universidade de Évora. 

Ainda a  reforçar a equipa, há também um grupo de consultores internacionais que inclui conservadores-restauradores e historiadores de arte da Universidade de Ghent (Bélgica), do Instituto Central de Restauro da Bélgica, da National Gallery de Londres (Reino Unido), do Metropolitan Museum of Art (EUA) e do Museo Nacional del Prado (Espanha).

É desde junho deste ano, que o público tem a possibilidade de visitar o local onde decorrerá o processo de restauro dos painéis, no Piso 3 do Museu, devidamente vedado mas visível a quem visita, permitindo o acompanhamento in loco dos trabalhos nas suas várias fases.

2020_expo_paineis_sao_vicente_500X375


Sobre os Painéis de São Vicente

Obra de enorme importância simbólica na cultura portuguesa e singular “retrato coletivo” na história da pintura europeia, os Painéis de São Vicente, atribuídos a Nuno Gonçalves (ativo 1450-1491), apresentam um agrupamento de 58 personagens em torno da dupla figuração de São Vicente, distribuídas por seis pinturas: uma solene e monumental assembleia representativa da Corte e de vários estratos da sociedade portuguesa da época, em ato de veneração ao patrono e inspirador da expansão militar quatrocentista no Magrebe.

Estas figuras, em volumes claramente afirmados, tão caracterizadas pela concentração expressiva dos rostos e atitudes quanto pela requintada definição pictórica dos trajes e adereços, parecem aliar, nesta encenação cerimonial, o intuito de uma evocação narrativa a uma visão contemplativa.
Embora permaneça problemático o pleno entendimento da intenção e significado da obra, crê-se que o autor das tábuas é o pintor régio de D. Afonso V, Nuno Gonçalves, e que estariam originalmente integradas no retábulo de São Vicente da capela-mor da Sé de Lisboa.
 
Sobre a  Fundação Millennium bcp 

A Fundação Millennium bcp é uma parceira de longa data do Museu Nacional de Arte Antiga no que concerne ao apoio concedido a importantes projetos nas mais variadas áreas, tanto em contexto expositivo como em campanhas de conservação, estudo e investigação levadas a cabo pelo MNAA. 

São exemplos deste apoio inestimável a campanha de crowdfunding para a aquisição da pintura Adoração dos Magos, de Domingos Sequeira, na qual contribuiu para a respetiva campanha de conservação e restauro, e a sua parceria no protocolo mecenático, juntamente com a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), com vista ao restauro dos Painéis de São Vicente, obra maior da pintura portuguesa.


Mecenas do projeto de restauro

2020 LOGO Fundação Millennium bcp